Menu Close

Tudo Sobre Produção de Conteúdo para SEO – O que é? Por que fazer? Como fazer?

O que é a produção de conteúdo para SEO?


Produção de conteúdo para SEO é o conjunto de técnicas de otimização e estratégias que tem como objetivo produzir conteúdos relevantes, construir autoridade e gerar tráfego qualificado, buscando melhores posições nos resultados orgânicos do Google.

A busca do Google faz parte da rotina de milhões de usuários no mundo. Ter seu negócio bem posicionado nos resultados orgânicos pode fazer toda a diferença para ter sucesso nas vendas on-line. Todos os tipos de negócios podem usufruir das vantagens de um bom posicionamento no Google. Para atingir bons resultados é preciso produzir conteúdo de alta qualidade, original e que tenha relevância para as buscas realizadas pelos usuários. 

O Google indexa os conteúdos através de um algoritmo avançado de análise que avalia diversos fatores que qualificam a relevância do conteúdo para determinada palavra-chave. Parte desse processo é medir a autoridade da url em relação a outras urls de conteúdos relacionados. Por isso o foco da produção de conteúdo sempre deve ser a alta qualidade. Ter o conteúdo pensado no usuário é a melhor decisão no momento de definir o planejamento e estratégias para SEO.

O relatório Not Another State of Marketing Report 2020 da HubSpot aponta que  cerca de 64% dos profissionais de marketing investem ativamente na otimização de mecanismos de pesquisa. 55% dos profissionais de marketing consideram a otimização de mecanismos de pesquisa “muito importante” ou “extremamente importante” para sua estratégia geral de marketing.

Por que fazer produção de conteúdo para SEO?

96% dos brasileiros utilizam a internet para fazer pesquisas sobre produtos e serviços de pequenas e médias empresas, segundo dados de uma pesquisa do Google com a Provokers. 98% utilizam o Google para pesquisar conteúdo, segundo outra pesquisa da StatCounter.

O principal objetivo do SEO é atrair tráfego orgânico. Quando a estratégia é produzir conteúdo relevante que tenha relação com um produto ou serviço esse tráfego orgânico é qualificado e gera um grande impacto positivo na geração de leads e vendas.

Cada negócio tem uma maneira de usufruir desse tráfego qualificado

Se o modelo de vendas for consultiva como a venda de serviços o conteúdo para SEO pode auxiliar na geração de leads já um ecommerce que depende de um fluxo de vendas constante pode ter grande impacto na entrada de novos clientes.

Uma pesquisa realizada pela Oribi mostrou que a busca do Google tem uma taxa de conversão de 2,1%, já os anúncios pagos no Google tem cerca de 2,7% frente ao Facebook que tem uma taxa de 1,8% e Instagram 0,8%. Isso demonstra o potencial de impacto nas vendas que o Google pode gerar para o seu negócio.

ZMOT e a importância do conteúdo como porta de entrada para os usuários

ZMOT ou Momento Zero é o comportamento de iniciar uma busca por mais informações sobre um produto, serviço ou assunto após recebermos um estímulo inesperado ou relacionado a uma necessidade do momento.

A busca do Google mudou a maneira como consumimos produtos e serviços. Hoje a possibilidade de aprofundar nosso conhecimento tirando dúvidas e validando a qualidade de produtos e serviços buscando por avaliações e comentários de outros usuários se tornou rotina no comportamento de compra on-line.

O conteúdo planejado para alcançar melhores posições nos resultados orgânicos acaba muitas vezes se tornando a porta de entrada de novos usuários para o site. Se levarmos em conta a jornada de compra on-line, vamos observar que o momento zero tem grande impacto no início da jornada, na etapa de reconhecimento de marca.

Inbound Marketing

O relatório Not Another State of Marketing Report 2020 da HubSpot aponta que cerca de 60% dos profissionais de marketing declararam que o Marketing de conteúdo é “muito importante” ou “extremamente importante” para sua estratégia geral. Destes 24% planejam aumentar seus investimentos em marketing de conteúdo em 2020.

Uma pesquisa divulgada pela International Journal of Internet Marketing and Advertising mostrou que empresas em geral recebem uma média de 5 cliques nos resultados de busca para seu site a cada clique em seus anúncios.

Se avaliarmos as ações que mais geram resultados positivos para a aquisição de novos clientes vamos perceber que a produção de conteúdo relevante é o fator de maior impacto nas vendas e geração de leads.

Investir na produção de conteúdo não é uma opção para o crescimento do negócio, se tornou o centro da maioria das estratégias de marketing das empresas e o  inbound marketing hoje é uma das principais estratégias para aquisição de clientes.

O que é o Inbound Marketing?

Inbound Marketing é o conjunto de estratégias e ações como o marketing de conteúdo, SEO, conteúdos para redes sociais com objetivo atrair tráfego qualificado, gerando leads e vendas através da produção de conteúdos para buscadores como Google e redes sociais como Facebook, Instagram e YouTube.

Por que fazer Inbound Marketing?

Só em 2018 as ferramentas de busca e publicidade do Google movimentaram R$ 41 bilhões em atividade econômica no Brasil aponta o Relatório de Impacto Econômico Brasil 2018 do Google. 

A principal vantagem do inbound marketing é a geração de leads e vendas, mas isso se deve a diversos fatores positivos que desenvolvemos ao utilizar o inbound marketing como estratégia.

  • Engajamento maior do público-alvo: como os conteúdos no inbound marketing são planejados levando-se em conta a jornada de compra, tirando dúvidas e auxiliando na avaliação de produtos e serviços a disponibilidade de conteúdos relevantes, materiais para download, vídeos e outros tipos de conteúdos aumenta o engajamento dos usuários.
  • Reconhecimento e consideração de marca: como o inbound marketing explora algumas estratégias como o SEO e marketing de conteúdo atraindo um volume maior de novos usuários a marca alcança maior visibilidade nos principais canais digitais.
  • Estratégias mais integradas ao funil de vendas: o inbound marketing tem suas estratégias avaliadas constantemente para identificar quais conteúdos auxiliam mais na geração de leads e vendas.
  • Maior independência na aquisição de novos clientes: o inbound marketing possibilita atrair novos clientes de uma forma mais orgânica, utilizando por exemplo o SEO. Isso gera uma redução no CAC.
  • Inteligência estratégica: a necessidade de análise constante dos resultados gera um acúmulo de inteligência estratégica e isso dá uma vantagem maior no posicionamento da marca.

Essas são algumas das vantagens de utilizar o inbound marketing. Muitos recursos de automação de marketing como ferramentas de email marketing, landing pages ou páginas de conversão, anúncios no Google e Facebook podem ser explorados aumentando ainda mais os resultados com o inbound marketing.

O conteúdo para SEO dentro do Funil de Marketing e Vendas 

Mais de 60 mil empresas, publishers e organizações sem fins lucrativos no Brasil se beneficiaram economicamente das ferramentas de busca e publicidade do Google  segundo o Relatório de Impacto Econômico Brasil 2018 do Google

Como comentado anteriormente o inbound marketing pode auxiliar na geração de leads e vendas com a produção de conteúdos para o funil de marketing e vendas. Basicamente o funil é composto por três etapas: topo do funil, meio do funil e fundo do funil. Dependendo do negócio o funil de marketing pode ser separado do funil de vendas, mas ambos devem integrar-se para que obtenham melhores resultados.

A análise constante dos resultados orgânicos nos mecanismos de busca e do quanto esses conteúdos junto ao funil geram mais leads e vendas é importante para decidir quais assuntos dedicar maior esforço na produção de conteúdos para SEO.

Topo do Funil

A produção de conteúdo para SEO pode ajudar nas estratégias de geração de leads. Para isso é necessário ter uma análise profunda do comportamento do público-alvo. Mapeando as principais dúvidas que as pessoas têm ao decidir iniciar a busca por informações relacionadas ao produto ou serviço pode ajudar a definir quais conteúdos produzir e otimizar para o topo do funil.

Meio do Funil

Já no meio do funil podemos dar foco nos conteúdos que participam inicialmente nas assistências. O Google Analytics pode auxiliar identificando quais são esses conteúdos. Para isso é necessário criar metas para que o rastreamento das origens de acesso ao site sejam identificadas.

Fundo do Funil

O Google Analytics também pode ajudar a identificar quais conteúdos participam mais da última interação do usuário com o site antes da conversão. Com isso é possível definir quais assuntos dar foco na produção de conteúdo para o fundo do funil.

Vimos que o Google Analytics é uma ferramenta imprescindível para analisar os resultados orgânicos e em quais etapas do funil a busca no Google tem maior impacto e quais são os assuntos que atraem novos usuário e quais são responsáveis pelo retorno desses usuários.

Impacto positivo no Link Building

A produção de conteúdo original e de alta qualidade pode auxiliar na construção de autoridade e assim com o tempo muitos conteúdos podem ser linkados como referências em outros conteúdos. 

Como fazer conteúdo para SEO?

70% dos profissionais de marketing estão investindo ativamente no marketing de conteúdo, segundo o relatório Not Another State of Marketing Report 2020 da HubSpot.

As estratégias e técnicas de SEO são centradas na otimização de conteúdos para alcançar boas posições nos resultados orgânicos do Google. Isso exige muito conhecimento técnico, além de conhecimento profundo em web análise e outras ferramentas de marketing digital.

Dominar todo o conhecimento necessário leva tempo e dedicação. Mas podemos definir algumas estratégias e técnicas como principais e que vão permitir alcançar bons resultados.

Como fazer um planejamento para produção de conteúdo para SEO?

Cerca de 60% dos profissionais de marketing declararam que o Marketing de conteúdo é “muito importante” ou “extremamente importante” para sua estratégia geral, segundo o relatório Not Another State of Marketing Report 2020 da HubSpot.

O planejamento da produção de conteúdo é o início da estratégia para SEO e deve ser revisado a cada período de avaliação de resultados. Levando-se em conta que o posicionamento nos resultados orgânicos acontece dentro de um contexto se concorrência é possível que um ou mais concorrentes possam aumentar o volume de produção de conteúdo e com isso a disputa por melhores posições pode exigir um volume maior de produção de conteúdos.

Como definir o público-alvo com Personas

Existem várias maneiras de identificar o público-alvo ideal para as estratégias de SEO. A mais utilizada atualmente é o uso de personas. A persona é um perfil de cliente criado a partir de comportamentos, interesses e dados demográfica, levando-se em conta objetivos como volume de vendas e ticket médio definido como idéias para o negócio.

Com as metas criadas no Google Analytics podemos rastrear todo o comportamento dos usuários no site e com isso identificar diversas informações como média de idade, região, gênero, conteúdos de maior impacto na conversão e diversas outras informações. Essas informações vão ajudar você a criar uma ou mais personas.

Com as personas definidas a produção de conteúdo fica mais fácil. Você pode definir o tom do texto, se será mais formal ou informal, e até mesmo buscar contextualizar exemplos e casos dentro do perfil da persona. Seu conteúdo será mais relevante e terá uma leitura com mais engajamento.

Conteúdo técnico vs não-técnico

Atendendo diversas empresas definindo o planejamento de produção de conteúdos pude perceber que um dos maiores dificultadores para as empresas é a habilidade de escrita. Mas isso não tô único dificultador. Muitas empresas não tem disponibilidade de ter um profissional interno alocado para a produção de conteúdo e assim demandam para um profissional externo com as habilidades de escrita necessárias. Mas muitas vezes esse profissional não tem um conhecimento técnico profundo sobre os produtos, serviços e segmento do negócio. Então o conteúdo deve passar por um processo de validação por parte da empresa antes de ser publicado, evitando com isso ruídos de comunicação além de evitar uma possível crise de marca caso algum assunto seja colocado de forma inapropriada.

Conteúdo formal vs informal

Como comentado acima o tom do conteúdo deve levar em conta a persona definida. Mas é importante também saber que pode-se definir mais de uma persona e que dependendo uma ou mais delas podem ter um conteúdo com um tom mais informal. 

Uma das vantagens do marketing digital e do SEO é alcançar novos públicos e isso é importante para o crescimento do no negócio. Então outros modelos de conteúdo e outras formas de escrita devem ser exploradas.

Mas não podemos esquecer de sempre avaliar os resultados com muita análise a fim de buscar o conteúdo ideal para cada persona.

Como descobrir quais as melhores palavras-chave

Definir quais serão as palavras-chave foco da produção de conteúdo é uma tarefa que leva tempo. 

1 PASSO: Deve-se mapear as principais palavras e expressões do negócio. Vamos pegar como exemplo um restaurante – podemos começar pelas palavras e expressões que tenham relação com a gastronomia dos pratos, região onde se encontra o restaurante e até mesmo de eventos do calendário cultural da região.

2 PASSO: Após mapear as principais palavras e expressões é hora de expandir a relação utilizando o planejador de palavras-chave do Google Ads. O planejador faz a sugestão de outras palavras-chave que tenham relação com aquelas informadas e o mais importante é que ele mostra a média de buscas mensal para cada uma das palavras além de demonstrar a concorrência delas nos anúncios. Saber se uma palavra-chave tem grande concorrência pode dar uma ideia do quanto de esforço pode ser necessário para alcançar boas posições além de ter uma idéia do custo em publicidade que pode ser economizado com conteúdos bem posicionados para essas palavras-chave.

3 PASSO: Faça análise dos resultados orgânicos mensalmente para identificar quais foram os conteúdos que geraram bons resultados. Sabendo quais foram esses conteúdos e quais foram as palavras-chave definidas para esses conteúdos vai facilitar a definição de quais conteúdo produzir mensalmente.

Esses são três passos básicos que vão ajudar você a encontrar e definir quais palavras-chave merecem o foco na produção de conteúdos para SEO. Existem mais metodologias e ferramentas que podem auxiliar nesse processo mas seguindo esses três passo você vai obter bons resultados.

Mapeamento e análise da concorrência

A análise da concorrência nos resultados orgânicos sempre será pauta nas definições de estratégia e produção de conteúdo para SEO. Os conteúdos melhores posicionados podem nos dar diversos insights e dicas de como estruturar conteúdos mais competitivos pelas primeiras posições.

Por experiência digo que investir tempo analisando as serps de concorrentes nos resultados orgânicos é um dos melhores investimentos de tempo que um analista de SEO pode fazer.

O poder das pesquisas na construção da autoridade e credibilidade do conteúdo

Já comentei anteriormente o quanto é positiva a percepção de marca quando o negócio tem conteúdos relacionados ao negócio bem posicionados no Google. É um comportamento do consumidor comparar marcas e o Google pode tem grande impacto nessa comparação. Sempre que buscamos conteúdos relevantes relacionados a nossas dúvidas e desejos e lembramos geralmente daqueles sites que estão melhores posicionados nos resultados das buscas.

A autoridade que os usuários atribuem a marca sempre que tem contato com os resultados orgânicos pode ser o diferencial nas vendas.

Estrutura de tópicos – Título e subtítulos

Ao longo dos mais de 16 anos definindo estratégias e planejando conteúdos desenvolvi uma metodologia para criação de conteúdos para SEO. Eu chamo essa metodologia de Andrew, uma referência carinhosa ao robô da série NDR do livro The Bicentennial Man and Other Stories de Isaac Asimov que busca constantemente se tornar humano. Assim como Andrew o conteúdo para SEO mesmo seguindo regras de um algoritmo de indexação (robô) deve sempre ser pensado na relevância e contextualização para os usuários (humano). E o mais importante, o conteúdo deve evoluir (análise)! 

Eu pretendo falar mais sobre a metodologia Andrew em um conteúdo dedicado.

A análise dos conteúdos melhores posicionados é o ponto de partida para a estruturação dos tópicos e subtópicos e isso é o que vai auxiliar muito a você alcançar a densidade ideal para que o conteúdo seja competitivo.

Densidade do conteúdo

Se o segmento do negócio for muito competitivo nos resultados orgânicos é provável que os conteúdos melhores posicionados tenham uma grande densidade de palavras, e isso é importante no momento de criar o conteúdo.

Uma dica para descobrir a densidade de palavras dos conteúdos é utilizando o Google Docs. Você pode copiar todo o conteúdo da página e colar em um doc em branco. Em seguida você acessa Ferramentas e clica em Contagem de palavras. Além da quantidade de palavras é mostrado a quantidade de caracteres, espaços em branco, quantidade de páginas e quantidade de caracteres excluindo os espaços. 

O algoritmo do Google é inteligente por isso não contabilize na contagem de palavras-chave os itens de menu, rodapé e demais áreas do site que não tenham relação com o conteúdo em si.

Títulos

O título deve ser objetivo e conter a palavra-chave o mais próximo possível do início. Se analisarmos os principais resultados vamos perceber um padrão nos títulos. E por mais que a maioria dos especialistas digam que não é indicado ter um título muito grande eu sempre procuro passar uma ideia estrutural dos meus conteúdos no título, mesmo que o tamanho ultrapasse o exibido nas serps do Google. 

Podemos utilizar como exemplo o padrão que utilizo para os conteúdos de maior referência. Como a ideia geral dos conteúdos é abordar de uma maneira completa o assunto eu estruturo o conteúdo três principais tópicos: o que é? por que fazer? como fazer? então coloco essa estrutura principal no título. Exemplo: Tudo Sobre SEO – O que é? Por que fazer? Como fazer?

Introdução

O relatório Not Another State of Marketing Report 2020 da HubSpot aponta que 53% dos profissionais de marketing estão tentando classificar ativamente para os snippets em destaque do Google.

A introdução deve ter um cuidado especial na criação. Geralmente é ela que serve de descrição geral do conteúdo. Mas é no primeiro parágrafo que a atenção deve ser maior, geralmente ele é utilizado para o preenchimento da meta description.

Se o primeiro parágrafo for bem escrito, objetivo e contiver a palavra-chave principal pode ser utilizado como um trecho em destaque, mesmo que a url não esteja nas primeiras posições.

Subtítulos

Como comentado acima eu geralmente estruturo meus conteúdos pensando em uma leitura completa sobre o assunto. Eu faço uma análise bem detalhada dos conteúdos concorrentes. 

O que devemos extrair de informações dos conteúdos concorrentes?

Tags HTML de títulos: contar a quantidade de tag <h1>, <h2>, <h3> e demais tag de títulos que foram utilizadas no conteúdo. Com essa informação você pode definir a quantidade mínima de tópicos e subtópicos que o conteúdo deve ter.

Demais elementos para estrutura do conteúdo

Analisando os conteúdos também podemos extrair os demais elementos necessários para definir a estrutura do conteúdo. 

  • Quantidade de parágrafos
  • Quantidade de negritos
  • Quantidade de itálicos
  • Quantidade de citações

Utilizando imagens para ter uma alcance maior

Outro fator determinante no sucesso do conteúdo nos resultados orgânicos é a quantidade de imagens que o conteúdo deve conter. A busca no Google Imagens pode gerar tráfego orgânico extra para o site por isso utilizar imagens de qualidade e que ilustram bem o conteúdo é determinante para o sucesso do SEO.

Título da imagem

O título da imagem é importante para uma boa indexação no Google Imagens. Por isso ele deve ser objetivo e conter a palavra-chave principal. Eu geralmente utilizo o tópico como título da imagem.

Atributo alt

O atributo alt é o principal recurso que devemos utilizar na utilização das imagens e assim como o título eu também utilizo o tópico para preencher o alt.

Legenda da imagem

A legenda da imagem deve conter uma descrição mais ampla do que a imagem está ilustrando. Se a imagem descrever um exemplo então deve descrever em texto o exemplo ilustrado.

A dica é utilizar todos os recursos disponíveis para descrever o que a imagem representa para o tópico ao qual ela está inserida. 

Utilizando vídeos para reter a atenção usuário

Uma das métricas que utilizamos para avaliar a qualidade do conteúdo é o tempo médio que os usuários permanecem na página. Além do conteúdo em texto utilizar vídeos para oferecer conteúdos extras pode ser uma boa maneira de reter a atenção do usuário por mais tempo na página.

Embedando vídeos

Devemos levar em conta o tempo de carregamento da página ao utilizar vídeo e imagens no conteúdo. Sempre que possível utilize vídeos embedados. Se você ainda não possui um canal no YouTube indico a iniciar um. Isso além de facilitar a disponibilidade dos vídeos nos conteúdos do site vai atrair tráfego qualificado além de ser mais uma maneira do usuário interagir com a marca.

Referências externas

O Google indica se necessário fazer referências a conteúdos externos para enriquecer o aprofundamento do usuário em relação ao conteúdo. E isso tem um grande impacto na percepção de credibilidade do conteúdo, uma vez que o usuário reconhece a veracidade do que está sendo dito. Por isso é importante fazer referências de alta qualidade.

Isso também vai ajudar no engajamento junto a comunidade de especialistas e produtores de conteúdo relacionados. Algumas dessas referências podem ser retribuídas em algum momento e isso vai gerar grande impacto no SEO a além de abrir canais de referência.

Referências internas

Planejar a estrutura de links internos é fundamental para o sucesso do SEO. Além disso é muito importante pensar um contexto mais amplo dos conteúdos que serão produzidos. Pensando na construção de autoridade e no desejo do usuário em se aprofundar mais no assunto é necessário produzir diversos conteúdos relacionados para linka-los uns aos outros.

Como estruturar os links internos

Pense em qual conteúdo você quer que chegue as primeiros posições nos resultados orgânicos. O planejamento deve partir dessa url, ela deve sempre que possível ser linkada nos outros conteúdos.

Ter um conteúdo mais completo relacionado a palavra-chave principal e apresentado para o usuário como uma boa referência para o aprofundamento da leitura pode ter grande impacto na taxa de rejeição.

Texto âncora 

O  texto âncora é o texto onde é uma url é linkada. É uma prática comum linkar urls em texto internos ao conteúdo mas pensar em qual palavra ou expressão linkar a url faz toda a diferença em estimular o clique do usuário.

Outra dica é marcar a palavra ou expressão linkada com negrito. Isso vai chamar mais a atenção do usuário.

Meta tags e HTML

Podemos ver que para obtermos bons resultados precisamos ter conhecimento básicos de html. De modo geral o html é uma linguagem de marcação mas a versão mais atual já pode ser utilizada como uma linguagem de programação. Mas são elementos de marcação que utilizamos para definir a hierarquia dos tópicos e subtópicos além de estilizar o conteúdo. Já falei de algumas das metas tag anteriormente. São elas que vão passar as primeiras informações que consideramos importante ao robô do Google. 

Por isso indico muito estudar um pouco de html para conseguir fazer uma análise mais detalhada dos conteúdos concorrentes além de passar diretrizes básicas e necessárias para o web designer na hora de publicar o conteúdo.

Título

A meta tag <title> é responsável por informar ao navegador o título da página além de ser um dos atributos analisados pelo algoritmo de indexação. Preencha a meta <title> com o título principal do conteúdo.

Descrição 

Já falei da meta <description> anteriormente também, e da necessidade de criar um primeiro parágrafo objetivo e que contenha  a principal palavra-chave. Você pode utilizar o primeiro parágrafo para preencher a meta <description>

Subtítulos

Tanto o título quanto os subtópicos devem utilizar os comandos em html <Hn> onde n é um número de 1 a 6. O <h1> é o elemento no topo da hierarquia do conteúdo. Ele é utilizado no título principal. Os demais tópicos podem utilizar os demais <h’s> e até mesmo mais de uma vez. O comando <h1> é o único que pode ser utilizado somente um única vez e é deve ser dedicado ao título sempre.

Estilização

A estilização do conteúdo pode ser feita com os comandos <strong> para negrito e <i> para itálico. Eles elementos podem ser combinados também. 

As listas <ul><li><ol> também podem ser utilizadas para relações de itens. E também pode ser combinadas com os comandos negrito e itálico.

Isso não impede de utilizar CSS para estilizar ainda mais o conteúdo. Deixar o conteúdo atraente para a leitura é importante e não deve ser negligenciado. Mas sempre que possível utilizar os comandos de estilização do html.

Links nofollow e dofollow

Já sabemos que link building e backlinks são fatores de sucesso em SEO. Quando nós produzimos conteúdos e linkamos urls de outros sites por exemplo, nem sempre queremos que o Google rastreie esse link, apenas queremos indicar uma referência para os usuários. Em SEO utilizamos um atributo de link rel=”nofollow” para dizer ao Google para não seguir esse link e consequentemente não dividimos o link juice (autoridade e  rankeamento) com a url destino.

É importante saber que nem sempre faz sentido utilizar o atributo nofollow nos links de referência do conteúdo. Um exemplo é nos conteúdos que falam de forma reduzida outro conteúdo. Nesse contexto faz mais sentido atribuir a autoridade a url destino, até por que o conteúdo completo se encontra em outra página. 

Quando utilizamos um link de referência sem utilizar o atributo nofollow chamamos o link de dofollow. São os links dofollow que informam ao robô do Google para seguir o link até seu destino. 

Então o uso e não uso do atributo rel=”nofollow” que vai dizer se o link deve ou não ser rastreado até seu destino!

Ideias para produzir conteúdos relevantes para SEO

Pode parecer fácil ter ideias para produção de conteúdo e inicialmente sim, as ideias surgem naturalmente, mas em algum momento elas vão saturar, as ideias vão acabar e é aí que o “bicho pega” como seguir produzindo conteúdos de qualidade e original?! Isso é uma das coisas que falo muito na carinhosa metodologia Andrew (rsrsrs) e a dica é explorar ao máximo tópicos recorrentes. Eu chamo de tópicos recorrentes aqueles que abordam perspectivas de um assunto.

Entrevistas com especialistas

Fazer entrevistas com especialistas do segmento é um ótima maneira de ter conteúdo atualizado, original, de qualidade e muito relevante. Os tópicos pode ser diversos e até mesmo repetidos com outros entrevistados. Como o foco é o SEO então é necessário que a entrevista tenha seu conteúdo em texto, mesmo que a mesma esteja disponível em vídeo ou áudio.

Casos

Falar de casos de sucesso e até mesmo de anti-casos é outra maneira relevante de criar conteúdos para SEO. O segmento do negócio com certeza possui diversos projetos, campanhas e ações que podem ser descritos de uma ótica crítica e que leve ao leitor informações úteis.

Notícias

Noticiar as novidades e acontecimentos do segmento é uma maneira de construir autoridade. E as notícias são uma maneira de produzir conteúdo recorrente.

Pesquisas

Eu utilizo muito dados de pesquisas nos meus conteúdos. Algumas pesquisas podem até se tornar o tópico principal para retomar algum assunto já publicado. Além disso as pesquisas dão credibilidade aos conteúdos ajudando na construção da autoridade.

Essas são ótimas ideias para definir um cronograma de produção de conteúdos que pode servir para outros canais também.

+Ideias

Existem outras ideias que podem ajudar nas definições de assuntos e tópicos para produção de conteúdos. Alguns até podem se tornar recorrentes mas geralmente são utilizados de forma pontual.

Explorando o Momento Zero

O momento zero pode apontar diversas ideias para produção de conteúdos para SEO. Um exemplo que pode parecer sem sentido é a resenha de filmes. Eu já cheguei em alguns blogs de especialistas em vendas e inovação buscando filmes biográficos e até mesmo já busquei assuntos específicos de filmes que vi. 

A moda por exemplo é outro mercado que pode explorar muito o momento zero. Quando personalidades aparecem na mídia com um estilo diferente geralmente as pessoas pesquisam para saber mais do look e dentro desse contexto uma marca ou ecommerce de roupas poderia produzir conteúdos relacionados para atrair esse tráfego para o site.

Esses são só alguns exemplos, mas com certeza se você pensar com calma vai encontrar diversos outros que podem ser explorados.

Guest Posts

De modo geral o guest post é um conteúdo produzido por você mas publicado em outro site ou blog. Esse tipo de estratégia pode trazer benefícios para o SEO, como: bons backlinks, alcance de um novo público e construção da autoridade.

O guest post pode ser incluído dentro de uma estratégia de co-marketing. 

A tendência do Co-Marketing

O co-marketing é o marketing feito a partir da troca de referência. De forma geral ele é utilizado para indicar ao usuário algo relevante e útil, mas de uma maneira estratégica entre duas marcas. Ele pode ser na forma de um ou mais guest posts entre os sites, um cupom de desconto exclusivo para o site parceiro, algo gratuito com exclusividade como um infoproduto, etc.

Para o SEO o guest post além de entrevistas pode ser uma boa maneira de troca entre duas marcas.

Reeditar conteúdos para alcançar melhores posições

O SEO é complexo e exige análise constante dos resultados. A busca pela qualidade do conteúdo é decisiva para a subida nas posições dos resultados orgânicos e muitas vezes é necessário reeditar os conteúdos já publicados. Isso é necessário para fazer ajustes que vão melhorar a qualidade do conteúdo e consequentemente impactar no posicionamento do conteúdo nos resultados orgânicos.

Estratégias para gerar engajamento

Estimular os usuários a interagir com o conteúdo pode ser uma maneira de reduzir a taxa de rejeição e aumentar o tempo médio dos usuários no site. Vejo alguns sites que disponibilizam algumas funcionalidades de compartilhamento em redes sociais do conteúdo, mas geralmente essas funcionalidades não ficam em destaque.

Quizzes no conteúdo

Estimular a resposta dos usuários com uma ou mais perguntas pode ser uma maneira de gerar engajamento. Alguns tópicos podem facilitar o uso de perguntas, mas o principal é ter em foco a empatia, buscar um exemplo real que comunique bem a pergunta estimula mais o engajamento dos usuários.

Dicas para novos conteúdos

Pedir dicas para os usuários também pode auxiliar no engajamento e ter grande impacto na taxa de retorno dos usuários. Alguns conteúdos são amplos e não tratam de algo específico ou de um contexto particular. Então pedir dicas que outros tópicos para os próximos conteúdos pode estimular o retorno dos usuários.

Indicando o conteúdo para amigos

Você já deve ter se deparado com conteúdos que estimulam o compartilhamento do conteúdo com amigos. Essa dica pode ser explorada de forma mais ampla estimulando a empatia sensibilizando os usuários das vantagens que o conteúdo pode dar a um amigo pode atrair novos usuários.

Link Building 

O Link Building é um conjunto de técnicas e estratégias muito amplo mas um dos pontos importantes que devemos tomar cuidado no momento de produzir conteúdos para SEO é a estrutura do link permanente.

Link Permanente

O link permanente é o link que utiliza na sua estrutura textos ao invés de códigos de identificação do conteúdo. É com o link permanente que podemos tornar o link amigável, deixando ele com palavras que façam mais sentido com o texto. Geralmente eu procuro utilizar o título do conteúdo como estrutura final do link amigável. Como o título possui a palavra-chave principal e dá um sentido amplo do conteúdo ele pode servir bem como link amigável.

Link Baiting

Essa dica também faz parte do arsenal do link building mas podemos utilizar nos conteúdos do blog ou site. O link baiting de forma geral explora de uma maneira mais “chamativa” ou “sensacionalista” o usuário para o clique no link. Por isso procure definir texto ou palavras que possam prender mais a atenção do usuário na leitura e utilize essas palavras ou expressões para link outro conteúdo quando necessário.

Isso pode ajudar a reduzir a taxa de rejeição da página, além de estimular o usuário a navegar mais no site aumentando a média de páginas vistas por usuário.

CTA’s – Call to Actions

O CTA ou Call to Action é a chamada que estimula o usuário a realizar uma ação. 

O conteúdo para SEO pode conter uma ou mais chamadas que podem estimular uma ação. Geralmente essa ação pode ser uma conversão, como: a solicitação de download de algum material, a inscrição em algum curso, a compra de produto, a solicitação de um contato em um formulário de fale conosco ou até mesmo uma ligação.

Ferramentas utilizadas para produção de conteúdo para SEO

Existem muitas ferramentas que podem auxiliar no processo de produção de conteúdo para SEO. Algumas ferramentas ajudam na obtenção de dados de conteúdos já publicados, outras ajudam no processo de criação do conteúdo. Eu vou citar algumas das ferramentas que utilizo com mais frequência em todo o processo de produção.

Ferramentas para produção

Google Docs

Para escrever os conteúdos utilizo sempre o Google Docs. Dois motivos pelos quais prefiro o Google Docs ao invés do Microsoft Word são a possibilidade de ter os conteúdos salvos em uma conta ativa do Google já que utilizo muitas ferramentas do Google e a possibilidade de produção em conjunto com outros produtos no mesmo documento. O Google Docs é muito bom no versionamento do conteúdo e isso é muito importante no processo de validação do conteúdo com o cliente.

Trello para gestão de pautas em equipe

A produção de conteúdo exige muito planejamento e pode envolver muitas pessoas no processo. Ter uma ferramenta que auxilie na gestão pode fazer a diferença no sucesso das estratégias de SEO.

Eu utilizo o Trello a anos, em todos os processo de atendimento com meus clientes e nas estratégias da 30/30. Sempre indico a ferramenta e os clientes que apostam na ideia sempre acabam utilizando ela para muitos outros processos.

Sugestão de Fluxo de Gestão

De modo geral o Trello é organizado em quadros e esses quadros são organizados em um modelo Kanban. O modelo kandam ajuda a organizar um fluxo de status de execução de tarefas em colunas. Você então move as tarefas que são cards entre essas colunas.

De modo geral utilizamos uma estrutura com três colunas fundamentais: To Do (a fazer), In Progress (em progresso) e Done (concluído). A partir dessas colunas outras podem ser adicionadas. Eu por exemplo possuo uma coluna chamada Aguardando validação, que utilizo para sinalizar aos clientes ou outras pessoas da equipe que alguma tarefa necessita de uma validação para dar seguimento a sua execução.

A ideia é você adaptar o fluxo a sua realidade e com o tempo ir adicionando ou removendo alguma coluna caso necessário. Lembre-se sempre que a ideia é organizar tarefas e auxiliar no processo de execução dessas tarefas.

Conclusão

Podemos ver que produzir conteúdo para SEO exige muitas habilidades e ferramentas, mas com estudo, prática e dedicação se atinge a maturidade necessária chegar ao sucesso. Lembre-se que os algoritmos de indexação de qualquer mecanismo de busca evoluem e por isso é necessário acompanhar os canais oficiais para saber de novas atualizações e com isso ajustar estratégias e planejamento caso necessário.

Até a próxima 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Share This

Copy Link to Clipboard

Copy